Metal e Loucuras

Metal e Loucuras

domingo, 12 de fevereiro de 2017

10 músicas com a letra 'H' que você tem que ouvir antes de morrer.

10 músicas com a letra "H" que você tem que ouvir antes de morrer.



Nesta lista, o Metal & Loucuras trouxe para vocês as 10 músicas essenciais que iniciam com a letra "H".



01 - Holy Wars...The Punishment Due (Megadeth) - Para muitos o maior clássico do Megadeth, Rust In Peace de 1990 carrega todo o espírito Thrash necessário para qualquer álbum que queira transcender a barreira do tempo. Capitaneado por aquela que é a melhor música da carreira de Dave Mustaine, Holy Wars que tem a vingança e a guerra santa como tema, mistura velocidade e melodia, solos incríveis, vocais poderosos e a capacidade de promover air guitars e headbanging em qualquer local àqueles que a ouvem. Uma nota pessoal: Em seu primeiro show em BH na segunda metade dos anos 90 havia um cordão de isolamento cercado por seguranças para manter o público longe do palco. O que eles não esperavam é que a banda começaria o show justamente com Holy Wars...e adeus cordão de isolamento, o que exigiu mais umas 03 músicas e o dobro de seguranças para ser refeito. Isso ilustra como uma canção poderosa pode deixar as coisas fora de controle.

02 - Hellraiser (Motorhead) - Inicialmente composta em uma parceria entre Lemmy e Ozzy, Hellraiser foi tema do conhecido filme Hellraiser (Renascido do Inferno) de Clive Baker (1987), que teve várias sequências com seu cubo do prazer e seus cenobitas. A música faz parte de uma era do Motorhead com a formação em quarteto, motivo de depreciação de muitos fãs que apreciam apenas a formação original como um trio, e teve sua versão apenas do Motorhead no álbum March Or Die de 1992. Alguns ainda definem Hellraiser como uma composição pop, estes com certeza não entendem nada de peso nem de pop, pois mesmo que não possua a velocidade de músicas como Ace of Spades e Overkill, Hellraiser carrega um peso descomunal, principalmente devido às linhas de baixo monstruosas criadas por Lemmy tanto quanto pela aura "malvada" de seus vocais, devidamente correspondente ao tema lírico. Lemmy deixou saudades, mas nos deixou um legado impressionante que será reproduzido com toda força por muitos falantes pelo resto da vida.

03 - Hallowed Be Thy Name - Iron Maiden - O horror de saber que sua vida está prestes a desaparecer pelas mãos de um carrasco pela pena de morte já foi tema de muitas canções no meio metálico, mas talvez poucas possuam a maestria e beleza à altura de Hallowed Be Thy Name do Iron Maiden. A banda havia demitido Paul Di' Anno e precisava provar que a escolha de Bruce Dickinson fora acertada para o terceiro trabalho The Number Of The Beast (1982). E se alguém em sã consciência ainda tinha dúvidas desta superação durante a audição do álbum, com certeza bateu o martelo de aprovado quando ouviu o primeiro minuto desta que é a última faixa do disco. Um trabalho vocal dificílimo de cantar com agudos de um artista que estava no auge de sua voz, com interpretação sensacional e o instrumental mais clássico que o heavy influenciado pelo punk dos dois primeiros plays. Um clássico eterno.

04 - Heaven And Hell - Black Sabbath - Céu e Inferno, bem e mal, o que há após a morte? Dio com certeza já descobriu e nós por enquanto esperamos nossa vez. E uma das melhores vozes que o Rock/Metal já teve brilha nesta música numa interpretação sem exageros e tão bela quanto as passagens de guitarra, baixo e bateria pediram. Uma música de quase 7 minutos que passa tão magicamente como se tivesse 7 segundos. O baixo de Butler na passagem instrumental, permeada pelos solos quebrados de Iommi e antecedendo a parte mais rápida carregada por Bill Ward chega a causar arrepios. Mais um clássico eterno que o tempo jamais apagará.

05 - Hit The Lights - Metallica - Poderia ser Havester of Sorrow mas a importância histórica pesou a mão sobre a pena na hora de escrever sobre Hit The Lights. A música que já abria a demo tape No Life 'Til Leather em 1982 e que também abriu o debut Kill 'Em All no ano seguinte pode ser considerada a abertura (com os pés) do portão Thrash da história. Paradinhas, viradas de bateria, vários solos e um vocalista ensandecido. Isso era o Metallica do início de carreira. E se Kill 'Em All tem clássicos como Seek And Destroy, The Four Horsemen e No Remorse, tudo começa no primeiro riff de Hit The Lights. Ouça sempre bangueando!

06 - Hallowed Land - Paradise Lost - 1995 foi o ano do Paradise Lost. O sucesso comercial que a banda inglesa atingiu com Draconian Times foi estrondoso e o álbum continua atual mais de 20 anos depois. Hallowed Land é até bem acelerada para os padrões Doom, mas o PLost não estava mais preso a rótulos e passou a fazer o que a imaginação pedisse, mas a inspiração ao criar esta música, assim como tantas outras no mesmo artefato é de tirar o chapéu. Com certeza uma das melhores músicas de um dos melhores álbuns dos anos 90. Perfeita.

07 - Hate - The Mist - A carreira do The Mist de Minas Gerais deixa muitas saudades nos apreciadores do metal nacional. Donos de um Thrash primoroso, muito técnico para a época em nosso cenário (o debut é de 1989) e que encerrou atividades precocemente apenas 08 anos depois de surgir. Hate pode ser definida como a música mais direta e porrada que os mineiros já fizeram. Com menos de 03 minutos o The Mist soube, como sempre, passar para a música aquilo que a parte lírica pedia. A interpretação de Korg vociferando 'Ódio me torna forte' é digna de um 10. Enquanto sonhamos com um retorno deles, aproveitamos o recente relançamento de Phantasmagoria pela Cogumelo (pela primeira vez em CD). 

08 - Hell Awaits - Slayer - A introdução mais arrepiante da história do Slayer. Assim se dava início ao segundo capítulo da história da banda de Los Angeles em 1985. Enquanto as guitarras pesadas de Kerry King e Hanemman despejam aquele riff limpo a bateria hipnótica de Lombardo acompanhava a marcha dos guerreiros negros. Quando a pancadaria come solta parece até que Araya canta fora do ritmo, mas quem precisa de ritmo pra discernir sobre a podridão dos sete portãos de sangue do inferno? Toda influência de Venom ainda está presente na música do Slayer, seja nos riffs, seja nas letras. Aprecie a obra meu amigo, pois o Inferno espera.

09 - Hallucinations - HeadHunter DC - Ah, os anos 90 estiveram para o Death Metal assim como os 80 para o Thrash. E não só pelo mundo afora, principalmente na Flórida ou Europa. E foi justamente no antigo continente que os baianos do HeadHunter DC buscaram influências para espancar nossos ouvidos em seu segundo trabalho, o poderoso Punishment At Dawn de 1993, uma obra perfeita e um dos melhores trabalhos do Metal Nacional. A bateria socada sem piedade por Túlio Constantin, as palhetadas abafadas de Paulo Lisboa e Simon Matos e o baixo competente de Ualson Martins são o pano de fundo para os vocais ultra guturais de Sérgio Ballof. Hallucinations foi um dos destaques deste álbum e merece todo o crédito na fase mais death metal do HeadHunter DC.

10 - Hellgium Messiah - Enthroned - Com pouca tradição no Metal a Bélgica tem encabeçando sua fileira de metal extremo os black metallers do Enthroned, que nos brindou com um dos melhores artefatos do estilo em 2004, o desgracento XES Haereticum. Hellgium Messiah é a última faixa do trabalho normal (sem os bônus), e já começa numa quebradeira enfurecida, onde os pedais duplos de Alsvid soam como um rolo compressor. Os vocais de Nornagest são outro destaque e as mudanças de andamento (sempre acelerados) enriquecem a faixa, culminando no exterminador refrão. Sai da frente que o Enthroned pede passagem.









Nenhum comentário:

Postar um comentário