Metal e Loucuras

Metal e Loucuras

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Top 3 Tiamat



Cultuada no meio doom e do metal extremo dos anos 90, os suecos do Tiamat perderam popularidade a partir de 1997 quando inseriram elementos góticos e eletrônicos em sua música. Mesmo que eles tenham melhorado após algumas escorregadas, o que os antigos fãs curtem mesmo são os 4 primeiros trabalhos. Portanto, se você curte música soturna e não conhece a banda, segue o Top 3 elaborado pelo Metal e Loucuras:


3 - The Astral Sleep (1991). Após um início mais extremo entre o black e death metal com Sumerian Cry em 1990, o Tiamat apresentou um álbum bem denso, alternando poucas passagens mais velozes a outros bem arrastados com destaque para a voz rouca de Edlund. Ouçam a faixa Mountain of Doom e apaixone-se.

2 - Wildhoney (1994). A banda chegou ao ápice de popularidade com este lançamento. Com video clipes rolando direto na MTV e faixas ultra melancólicas, duas delas com Edlund cantando com a voz limpa, o que seria a tônica para os próximos trabalhos. Neste álbum a banda se resumiu a Edlund nos vocais e guitarra e o baixista Johnny Hagel e demais músicos convidados. Destaque absoluto para a faixa Gaia, de beleza (e tristeza) ímpar.

1 - Clouds (1992). Se Anathema, Paradise Lost e My Dying Bride são considerados a santa trindade do doom, o álbum Clouds poderia estar figurando entre a discografia destas bandas sem dever nada para os ingleses. Aliás, melancolia é a palavra que comanda as 8 faixas deste trabalho, que já começa bem pela capa belíssima, muito rara no formato vinil, o que é uma pena. Ouça The Sleeping Beauty e entregue-se ao doom sem medo.

domingo, 3 de julho de 2016

Twisted Sister (I Wanna Rock) - Stay Hungry - 1984


Eu Quero Rock

Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)

Abaixe isso, você diz
Bem, tudo o que eu tenho a dizer para você
De novo e de novo eu digo não (Não!)
Não, não, não, não, não

Diz a mim para não tocar
Bem, tudo o que eu tenho a dizer
Quando você me diz para não tocar
Eu digo não (Não!) não, não, não, não, não

Então se você me perguntar porque eu gosto da maneira que eu toco
Só tem uma coisa que eu posso dizer a você

Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)

Há sentimento que
Eu não tiro de nenhuma outra coisa
E não há nada no mundo
Que me faz ir (IR!) ir, ir, ir, ir, ir

Aumente o volume
Eu esperei por tanto tempo
Para ouvir a minha música favorita
Então vamos (vamos!) vamos, vamos, vamos, vamos, vamos

Quando não é isso eu sinto a música atirando através de mim
Não há nada mais que eu gostaria de fazer

Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)
Eu preciso de rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)

Eu quero rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu quero rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu preciso de rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu quero rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu quero rock (ROCK!)

Eu quero rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)
Eu preciso de rock (ROCK!)
Eu quero rock (ROCK!)

Eu quero rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu quero rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu preciso de rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu quero rock (ROCK!)
(ROCK!) rock
(ROCK!) rock

Eu quero rock (ROCK!)