Metal e Loucuras

Metal e Loucuras

domingo, 29 de maio de 2016

Timor Trail


 O Timor Trail foi criado pelo já conhecido da cena nacional, Adriano Perfetto, que fez história à frente do Bywar.
Agora Perffeto meteu o pé no freio e nos brindou com este CD demo do Timor Trail calcado no tradicional Doom metal, no melhor estilo Candlemass, Cathedral, e principalmente Black Sabbath. Ao lado de César Lopes no baixo, Edill Alexandrino na batera e Ricardo Baptista na guitarra, que já passou por Laudany e Pastore, Perffeto que faz vocal, guitarra e sintetizadores, descarrega muito peso e bom gosto em sete faixas que chegam a 34 minutos, e foi lançado em 2015.

Podemos destacar Sweet And Cruel (The Lady in Black) com uma levada empolgante. Timor Trail é outra faixa bem interessante que mostra toda influência adquirida dos primórdios do Sabbath, arrastada e pesada.
E o destaque absoluto fica com a saideira My Inner Evil, uma música que agradará em cheio aos fãs da vertente "peso pesado" do Heavy Metal, em especial os vocais naquela linha Destruction/Volkana muito agradáveis e que casaram perfeitamente com a música. 
Que o Timor Trail possa lançar um full length urgente, corrigindo apenas um detalhe: que as guitarras fiquem menos abafadas e mais na cara, pra mostrar ainda melhor o talento dos músicos. Hail Metal Nacional.

Savatage - Gutter Ballet (Gutter Ballet 1989)


Balé da Miséria

Outra noite sem sono
Um paraíso concreto
Sirenes soando no calor
Néon corta o olho
Enquanto o bufão suspira
Ao mundo sobre seus pés

É um balé da miséria
Apenas um monte de animais selvagens
Ainda a orquestra toca
Em uma noite escura e solitária
Para uma distante luz que desaparece

Equilibrados em suas facas
Pequenas partes de vidas
Uma realidade muito estranha
Mate o unicórnio
Apenas para conseguir seu chifre
Em breve ele é apenas uma fantasia

É um balé da miséria
Apenas um monte de animais selvagens
Ainda a orquestra toca
Em uma noite escura e solitária
Para uma distante luz que desaparece

O bufão pega seus arcos
Mistura-se à multidão
Enquanto os atores desaparecem
Outra morte para lamentar
Outra criança nasce
Outro capítulo na peça

É um balé da miséria
Apenas um monte de animais selvagens
Ainda a orquestra toca
Em uma noite escura e solitária
Para uma distante luz que desaparece

sábado, 21 de maio de 2016

Kreator - Extreme Agression de 1989


A primeira vez que ouvi Kreator em 1993, no Rock Festival da 98 FM, eu dei muita risada. Foi a música Betrayer deste mesmo álbum e eu a gravei em k-7 esta noite. Eu ria do vocal do Mille que parecia uma bruxa enlouquecida, mas depois me acostumei com aquilo. Mas longe de achar ruim, eu achava insano, era demais, tanto que esta é a melhor música do Kreator pra mim até hoje. Destaques também para Extreme Agression, Love Us Or Hate Us e Some Pain Will Last. A capa é simples , a gravação está boa para os padrões da época. Um disco simples e puro thrash metal, por isso é tão bom. Alíás, se alguém perguntar o que é o thrash metal, basta recomendar que ouça este álbum. Todos os ingredientes estão lá. Kreator é a maior banda neste estilo da Europa.

Pantera - This Love (Vulgar Display Of Power - 1992)


Este Amor

Se palavras nunca fossem faladas,
dolorosas e falsas.
Eu disse que eu amei,
mas eu menti.
Em minha vida,
Tudo o que eu quis.. era manter alguém como você.
Como se mostra,
mais profundamente dentro de mim,
amor foi pervertido e apontou para você.
- Dor que nunca acaba. Vida que acaba rápido -

(Refrão)
Você mantém esta Coisa de Amor, Criança de Amor, Brinquedo de Amor!
Você mantém este Punho de Amor, Cicatriz de Amor, Fratura de Amor
Você mantém este Amor! (4x)

eu tinha sido tentado
roubá-la de si mesma.
Este presente em dor,
o sofrimento dela era vida.
E às vezes,
Eu me sinto tão arrependido,
Eu sinto isto.. A sua ferida.
Mas você me faz.. tão infeliz,
Eu pegaria a minha vida e deixaria o amor com você.
- Eu me mataria por você. Eu Mataria você por mim -

(Coro)

Não... mais... viagens... mentais!

domingo, 8 de maio de 2016

Motorhead - Going To Brazil (1916 - 1991)


Indo Pro Brasil
Aqui vamos nós novamente, num 747
Olhando as nuvens do outro lado do paraíso
Fumando & bebendo, nunca vamos parar
Lendo revistas, paro e confiro a hora
Quero assistir um filme, não consigo ficar parado
Voando até o Rio, indo pro Brasil

Observando todo o pessoal de bordo na pista
Atacando as garotinhas
Ligado ao alto clube*, viajando ao redor do mundo
Toda a bebida é grátis, falindo a companhia aérea,
Lá vem a mulher com "Jack Daniels com coca-cola? Quero assistir um filme, não consigo ficar parado
Voando até o Rio, indo pro Brasil

Steve, Clem, Hobbsy, John, Crazy Dil & Pappy
Eles tiveram que viajar na segunda classe Eles não estão tão contentes
Música de elevador é como manteiga em meus ouvidos
Acho que morreremos Mas é só o piloto que trocou de marcha
Quero assistir um filme, não consigo ficar sentado
Voando até o Rio, indo pro Brasil

sábado, 7 de maio de 2016

Top 3 Paradise Lost




Os britânicos do Paradise Lost deram início à sua viagem melancólica em 1988 na cidade de Halifax. Após 03 demos lançaram o debut Lost Paradise pela Peaceville Records, mostrando ao mundo um death metal arrastado e cheio de variações. Já no ano seguinte a veia doom tomou de vez o som da banda, caracterizando-a como um dos expoentes do estilo, inclusive servindo de influência para milhares de bandas de gothic metal no estilo Beauty And Beast que surgiram pouco tempo depois. Quer conhecer melhor esta banda perfeita para se ouvir em dias chuvosos? Confira nosso Top 3.


3 - Shades Of God (1992) - Um intercessor entre o lado mais death dos vocais guturais e o lado mais melódico que apresentaria a seguir, Shades Of God tem a melodia e peso certos para os amantes do doom. A abertura é perfeita com Mortals Watch The Day. Na sequência encontramos dentre outras outro clássico, Pity The Sadness. Mas o melhor estava guardado para o final, As I Die. Quem não fica com Nick Holmes na cabeça cantando o refrão desta música após uma audição? Não foi à toa que no ano seguinte saiu um EP chamado As I Die contendo esta faixa e outras três, das quais podemos destacar a poderosa Rape Of Virtue que, em nossa opinião, deveria fazer parte de Shades Of God.




2 - Icon (1993) - Com uma capa bela e marcante o Paradise Lost não perdia tempo nem desperdiçava
sua criatividade. Após Shades Of God introduziu ainda mais melancolia em seu som e criou umas das mais belas obras do doom metal, o maravilhoso Icon. Iniciando com um belíssimo som de teclado vem Embers Fire, com destaque para as vozes de Nick Holmes menos graves. Difícil apontar as melhores mas Colossal Rains, a belíssima True Belief e a diferente e contagiante Christendom devem ser apreciadas sem moderação.







1 - Draconian Times (1995) - Eis a obra mais relevante da prolífera discografia do Paradise Lost. Nick Holmes, Gregor Mackintosh, Aaron Aedy, Stephen Edmonson e o estreante Lee Morris na bateria, substituindo Matthew Archer, tiveram aquele momento de inspiração absoluta que eleva a alma e traduz seus sentimentos em forma artística. Sem indicar qualquer faixa desta obra. Ela foi feita para ser ouvida e sentida do início ao fim.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Type O Negative - Black Nº 1 (Bloody Kisses - 1993)



Preto Nº1

Eu saí procurando por confusão e, rapaz, eu a encontrei

Ela esta apaixonada por si mesma
Ela gosta do escuro
Em seu pescoço branco como o leite
A marca do diabo
Agora é noite de halloween
A lua está cheia
Ela vai pedir doces ou travessuras
Eu aposto que vai

Ela vai
(Feliz dia das bruxas, baby)

Ela tem um encontro à meia noite
Com Nosferatu
Ó, querida, Lilly Monster
Nem chega perto de você
Bom, quando eu chamei ela de má
Ela apenas riu
E lançou um feitiço em mim
Bú, feiticeiputa

Yeah, você quer sair, porque está chovendo e ventando
Você não pode sair, porque suas raízes estão aparecendo
Pintem de preto
Oh, pintem de preto
Preto, preto, preto, preto nº. 1
Preto, preto, preto, preto nº. 1

Botas de pele de filhote de lobo
E cigarros de cravo
Um funeral erótico
Para qual ela está vestida
O perfume dela tem cheiro
De folhas queimadas
Todo dia é dia das bruxas

Yeah, você quer sair, porque está chovendo e ventando
Você não pode sair, porque suas raízes estão aparecendo
Pintem de preto
Oh, pintem de preto
Preto, preto, preto, preto nº. 1
Preto, preto, preto, preto nº. 1

Amar você
Amar você
Amor, amar você
Foi como amar os mortos
(Foi como foder os mortos)