Metal e Loucuras

Metal e Loucuras

domingo, 15 de setembro de 2013

Arise

O ano de 1991 foi especial para o metal mineiro. Três dos maiores álbuns da história do heavy metal foram lançados naquele ano, "The Hangman Tree" do The Mist, "The Laws of Scourge" do Sarcófago e "Arise" do Sepultura. O bolachão que foi lançado às pressas no Brasil com apenas uma parte da arte da capa e sem o cover do Motorhead para antecipar o Rock In Rio é até hoje o maior álbum dos mineiros que conquistaram o mundo. Lembro me até hoje que a primeira vez que ouvi este vinil na casa de meu amigo Sergio Alexandre, que eu disse "Esse som não é deste mundo, como eles conseguem fazer isso?" Foi uma coisa meio hipnótica mesmo ouvir aquela pancadaria de Arise, a faixa título, perfeita em sua brutalidade e atual até hoje. "Dead Embryonic Cells" também é um dos pontos altos do disco, altamente indicada pra quem quer bater cabeça e "Desperate Cry" que já foi minha favorita vem com melodia, cadência e é fantástica. Murder e Subtraction já são mais no estilo do álbum "Beneath The Remains", aquele thrash mais reto sem muita firula. 
Altered State é outro grande momento e começa com batidas de tambores, nada abrasileirado como foi incorporado mais tarde, mas daqueles tambores sinistros que você imagina em florestas obscuras cheias de tribos de canibais africanas prontas pra te devorar. Ótima música. A crítica religiosa veio em forma de "Under Siege (Regnum Irae), fugindo aos padrões do Sepultura, com cavernosas vozes ao contrário e o início com dedilhado e bateria. Isso mostrava que a banda estava pronta para ousar e agregar novas influências ao seu som. "Meaningless  Movements" também é thrash puro e começa com paradinhas inconfundíveis e que Big Shaw usava nas vinhetas de seu programa "Rock Festival" na 98 FM. "Infected Voice" também vai na pancadaria estilo Beneath The Remains e o cover do Motorhead "Orgasmatron" que Max gravou bêbado e nem se lembrava de ter terminado a gravação, ficou melhor que original e faz sucesso entre os fans até hoje. Se o Sepultura tivesse lançado Arise apenas no estilo das músicas que citei acima no estilo Beneath The Remains talvez não teria conquistado o mundo, pois foram as músicas diferenciadas como "Dead Embryonic, Arise, Under Siege, Desperate Cry e Altered State" que fizeram com que a banda subisse mais alguns degraus na carreira e fosse reconhecida em qualquer parte do planeta. A promessa se tornou realidade em Arise. E a arte da capa? Sem comentários! Uma das melhores da história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário