Metal e Loucuras

Metal e Loucuras

domingo, 3 de agosto de 2014

...and Evil Returns.

"...dor e ódio são as razões do mal. Vingança e ódio são as razões que me mantêm vivo." Com esta inscrição na contracapa o Murder Rape de Curitiba lançou seu segundo álbum, o '...and Evil Returns', em 1996, agora pela gravadora da própria banda, a Evil Horde Records, sendo este o seu primeiro lançamento. E maldade é o que transpira este CD, com andamentos arrastados e Sabatan cantando bem mais rasgado que no debut 'Celebration of Supreme Evil'. Aliás, além de sempre um novo álbum ter uma música com o título do disco anterior, todos os lançamentos do Murder Rape levam a palavra 'Evil' nos títulos. Detalhes interessantes daqueles que se preocupam com tudo que se identifica com a banda, e não apenas a música, assim como outras bandas como Morbid Angel e Drowned também fazem, e somente os verdadeiros fãs identificam.
São apenas seis músicas, mas todas carregando o espírito black metal e tão bem compostas que nos deixam com vontade de ouvi-las novamente ao final do último hino. 'Pail Air of Melancholy' inicia o trabalho com um riff mórbido e cortante, com o teclado de Sérgio (não creditado como membro da banda), dando uma camada fúnebre ao fundo, bem como em todas as composições. As guitarras de Ipsissimus e Azarack são bem arrastadas, e poderiam muito bem estar em uma banda de death doom ou funeral doom. Em 'For The Glory of Evil Warriors' as guitarras já aparecem em doses mais cavalgadas, porém na mesma velocidade. Nos primeiros álbuns a banda não se preocupava com a velocidade ou pedais duplos acelerados, o negócio era soar mórbido ao extremo. Essa música tem um riff lá pelo um minuto e meio de tirar o chapéu. Depois vem 'Echoes From the New Millenium', a música mais acelerada, com Ichthys Niger ditando o ritmo de sua bateria, ele que viria a se tornar um baita baterista quando saiu do Murder e foi para o Evil War, passando a tocar bem mais técnico e preciso, até sua fatídica morte em 2008, dois dias antes de completar 33 anos. O curioso é que o baixo de Agathodemon não aparece muito, ele que é um dos fundadores da horda, faz backing vocais em todos os álbuns, é o fundador da gravadora Evil Horde e editor da revista 'A Obscura Arte', aquela mesmo em preto e branco com bandas extremas do underground mundial. As outras faixas são 'Descendant From Dark Side', 'Wonders of Shadows' que também é uma das melhores, e tem aquela risada malévola e característica de Sabatan, e 'Celebratrion of Supreme Evil', com um início pra lá de maquiavélico. Só faltou o logo da banda na capa do CD para ser completo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário